Colaboradores

sexta-feira, agosto 4

A importância do Perdão

O pequeno Zeca entra em casa, após a aula, batendo forte os seus pés no assoalho da casa.
Seu pai, que estava indo para o quintal para fazer alguns serviços na horta, ao ver aquilo chama o menino para uma conversa.
Zeca, de oito anos de idade, o acompanha desconfiado.Antes que seu pai dissesse alguma coisa, fala irritado: -Pai, estou com muita raiva. O Juca não deveria ter feito aquilo comigo. Desejo tudo de ruim para ele. Seu pai, um homem simples mas cheio de sabedoria, escuta camalmente o filho que continua a reclamar:
-O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Não aceito.Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir á escola. O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um abrigo onde guardava um saco cheio de carvão levou o saco até o fundo do quintal e o menino o acompanhou, calado. Zeca vê o saco ser aberto e antes mesmo que ele pudesse fazer uma pergunta, o pai lhe propõe algo: - Filho, faz de conta que aquela camisa branquinha que está secando no varal é o seu amiguinho Juca e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu, endereçado á ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco na camisa, até o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou. O menino achou que seria uma brincadeira divertida e passou mãos á obra. O varal com a camisa estava longe do menino e poucos pedaços acertavam o alvo.
Uma hora se passou e o menino terminou a tarefa. O pai que espiava tudo de longe, se aproxima do menino, e lhe pergunta: - Filho como está se sentindo agora? -Estou cansado mas estou alegre porque acertei muitos pedaços de carvão na camisa.O pai olha para o menino,que fica sem entender a razão daquela brincadeira, e carinhoso lhe fala: - Venha comigo até o meu quarto, quero lhe mostrar uma coisa. O filho acompanha o pai até o quarto e é colocado na frente de um grande espelho onde pode ver seu corpo todo. Que susto.
Zeca só conseguia enxergar seus dentes e os olhinhos. O pai, então lhe diz ternamente:- Filho, você viu que a camisa quase não se sujo;mas, olhe só pra você. O mal que desejamos aos outros é como o nosso pensamento, a borra, os resíduos, a fuligem ficam sempre em nós mesmos. Cuidado com seus pensamentos,eles se transformam em palavras; Cuidado com suas palavras, elas se transformam em ações;
Cuidado com suas ações, elas se transformam em hábitos; Cuidado com seus hábitos, eles moldam o seu caráter;Cuidado com seu caráter, ele controla o seu destino.

segunda-feira, julho 3

Linda História Chinesa

Uma velha senhora chinesa possuía dois grandes vasos, cada um suspenso na extremidade de uma vara que ela carregava nas costas.
Um dos vasos era rachado e o outro era perfeito.
Este último estava sempre cheio de água ao fim da longa caminhada da torrente até a casa, enquanto aquele rachado chegava meio vazio.

Por longo tempo a coisa foi em frente assim, com a senhora que chegava em casa com somente um vaso e meio de água.
Naturalmente o vaso perfeito era muito orgulhoso do próprio resultado e o pobre vaso rachado tinha vergonha do seu defeito, de conseguir fazer só a metade daquilo que deveria fazer..

Depois de dois anos, refletindo sobre a própria amarga derrota, falou com a senhora durante o caminho: "Tenho vergonha de mim mesmo, porque esta rachadura que eu tenho me faz perder metade da água durante o caminho até a sua casa..."

A velhinha sorriu:

"Você reparou que lindas flores tem somente do teu lado do caminho?
Eu sempre soube do teu defeito e portanto plantei sementes de flores na beira da estrada do teu lado e todo dia, enquanto a gente voltava, tu as regavas.

Por dois anos pude recolher aquelas belíssimas flores para enfeitar a mesa.
Se tu não fosses como és, eu não teria tido aquelas maravilhas na minha casa.
Cada um de nós tem o próprio específico defeito.
Mas o defeito que cada um de nós tem é que faz com que nossa convivência seja interessante e gratificante.

É preciso aceitar cada um pelo que é e descobrir o que tem de bom nele.

sábado, junho 24

A Lição do Mendigo...

Um mendigo sentava-se na calçada, sempre num lugar onde passavam muitas pessoas,e ao lado, colocava uma placa com os dizeres: "Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem-humorado."
Algumas pessoas olhavam intrigadas, outras o achavam doido e outras até lhe davam dinheiro.
Todos os dias, antes de dormir, ele contava o dinheiro e notava que, a cada dia, a quantia era maior.
Numa bela manhã , um importante e arrojado executivo, que já o observava, há algum tempo, aproximou-se e disse-lhe:
- Você é muito criativo! Não gostaria de colaborar numa campanha da empresa?
- Vamos lá. Só tenho que ganhar!
Após um caprichado banho e com roupas novas, foi levado para a empresa. Daí em diante, sua vida foi uma sequência de sucessose, em pouco tempo se tornou um dos sócios majoritarios.
Numa entrevista coletiva á imprensa, ele esclareceu como conseguira sair da mendicância para tão alta posição:
- Bem, houve uma época em que eu costumava sentar-me nas calçadas com uma placa ao lado, que dizia: "Sou um nada nesse mundo! Ninguém me ajuda! Não tenho onde morar! Sou um homem fracassado e maltratado pela vida! Não consigo um mísero emprego que me renda alguns trocados! Mal consigo sobreviver!"
- As coisas iam de mal a pior, certa noite, achei um livro e nele atentei para um trecho que dizia:
" Tudo o que você fala a seu respeito vai-se reforçando. Por pior que seja a sua vida, diga que tudo vai bem. Por mais que você não goste de sua aparência, afirme que é bonito. Por mais pobre que seja você, diga a si mesmo e aos outros que você é próspero."
- Aquilo me tocou profundamente e, como nada tinha a perder, decidir trocar os dizeres da placa, e a partir desse dia, tudo começou a mudar, a vida me trouxe a pessoa certa para tudo de que eu precisava, até que cheguei onde estou hoje. Tive apenas que entender o poder das palavras. O universo sempre apoiará tudo o que dissermos, escrevermos ou pensarmos a nosso respeito e isso acabará se manifestando em nossa vida como realidade. Ele materializa em nossa vida todas as crenças, positivas ou negativas.
Uma repórter, ironicamente questionou:
- O senhor está querendo dizer que algumas palavras escritas numa simples placa modificaram a sua vida?
O home de bom humor respondeu:
- Claro que não, minha ingênua amiga! Primeiro eu tive que acreditar nelas!

"A cada degrau da vida, veja a beleza que ela lhe oferece."