Colaboradores

quinta-feira, junho 27

Uma Questão de Escolha...

Escolher quer dizer preferir, selecionar, optar. Toda nossa vida é feita de escolhas. Por mais indecisos que sejamos, ao abrir os olhos pela manhã, teremos que optar entre permanecer na cama, esquecendo as horas, ou levantar. A opção continua na primeira refeição da manhã: cereal, frutas, chá, café, pão integral, pão branco, mel, açúcar ou adoçante. Desejar bom dia ou resmungar qualquer coisa, ou ficar calado. São opções. Sair de carro, dar uma caminhada, correr para não perder a condução ou fazer de conta que não tem compromisso nenhum. Ser gentil no trânsito, cedendo a vez a outro carro, em cruzamento complicado, ou fazer de conta que ninguém mais existe no caminho além de você mesmo. Não jogar nada pelas janelas do carro ou emporcalhar todo o caminho por onde passa, tudo é questão de escolha. Escolha de como você deseja que seja o seu dia, a sua vida, o seu Mundo. Você pode viver muito bem com todo mundo ou viver muito mal até consigo mesmo. Você pode modificar o mau humor da sua chefia ou de seu colega de escritório, pode sintonizar com eles ou pode ficar na sua. Você pode atender muito bem o seu cliente e ter sorrisos de retorno ou fingir que ele nem está aí, esperando que outro colega decida por atendê-lo. Você pode se tornar uma pessoa quase indispensável, no Mundo, pela sua forma de ser. Ou decidir por ser alguém que, se faltar, poucos ou talvez ninguém notará. Contou-nos amigo nosso que, viajando por essas estradas de Deus, pelo interior do nosso Brasil, começou a sentir fome. Aproximava-se o horário do almoço e porque ele e o companheiro de viagem não conhecessem muito bem aqueles caminhos, ficaram atentos a qualquer placa indicativa de lanchonete ou restaurante. Mais alguns quilômetros percorridos e chegaram a um local que oferecia refeições. Em cima do imóvel, escrito em letras grandes, em madeira firme, lia-se: Comida a escolê. Logo entenderam que o proprietário ou proprietária se equivocara ao escrever. Talvez pelas poucas letras que tivesse. Mas compreenderam, sem dúvida, que havia comida para se escolher. Entraram e uma senhora muito simples os atendeu. Porque não houvesse cardápio à vista, perguntaram o que havia para lhes matar a fome. Frango frito. Foi a resposta rápida. E que mais? Só frango frito. Respondeu de novo. Mas a tabuleta diz comida a escolher. - Argumentou meu amigo. Sim. Falou a senhora, sem pestanejar. O senhor escolhe se quer comer ou se não quer comer. Tinha toda razão aquela senhora. Tudo é opção. Por isso, alguns de nós escolhemos viver em clima de felicidade, com o pouco ou quase nada que tenhamos. Outros optamos por ser infelizes, com a abundância que desfrutamos. Uns recebemos o diagnóstico de doença insidiosa e decidimos lutar e viver o quanto nos seja permitido. E curtimos a natureza, a praia, a montanha, os passeios com a família, o cinema, a bagunça dos netos. Outros, optamos por nos deixar morrer, sem combate. Felicidade ou infelicidade. A decisão cabe a cada um de nós. Todos sofremos perdas, doenças, lutas, no Mundo de provas e expiações em que nos movimentamos. Todos também usufruímos alegrias, conquistas, dádivas, saúde. O que fazemos com cada uma dessas coisas é o que estaremos fazendo com o nosso dia: alegria ou tristeza. Vitórias ou derrotas. Pense nisso e escolha o que você deseja para você, agora, hoje, neste novo dia. * * * Abrace a alvorada que surge, viva as horas de bênçãos e quando a noite chegar, agradeça a Deus pelas felizes escolhas desse bendito tempo que se chama dia. Amanhã, quando retornarem as horas a movimentar os ponteiros do relógio, você voltará a fazer as suas escolhas... muito boas escolhas. Redação do Momento Espírita.

quarta-feira, junho 19

O copo com água.

Pedro, um adolescente que vivia sendo repreendido por seus pais por estar sempre aprontando, foi conversar com o diretor de sua escola, e meio sem jeito perguntou:
Professor, o que devo fazer para não aprontar tanto? Tenho me esforçado, mas não estou conseguindo melhorar!
O professor então pegou um copo, encheu-o de água e entregou-o a Pedro, dizendo-lhe:
– Pedro, ande com esse copo por todo a escola, suba e desça as escadas, entre em todos os cantos e becos, em todos os lugares, e volte aqui sem derramar uma só gota da água desse copo.
– Ah professor, isso não é possível, vou derramar! – Respondeu Pedro.
– Então pelo menos tente. Tenho certeza que vai conseguir – Disse o Mestre.
Pedro então saiu, devagar, com os olhos fixos no copo. Subiu e desceu escadas, entrou e saiu das salas, cantos e becos, e voltou sem ter derramado uma só gota de água.
O mestre então olha carinhosamente para Pedro, bate nos ombros e lhe diz:
– Você não viu as garotas que passeavam pelo jardim no horário de aula? Não viu seus colegas matando aula para fumar um cigarrinho e beber uma cervejinha?
– Não. Eu estava com os olhos fixos no copo – Respondeu Pedro.
O mestre então sorri, e diz:
– Quando você estabelece objetivos e metas para sua vida, e coloca seu foco neles, assim como fez com o copo, encontrará a força e a motivação necessárias para vencer os desafios e as dificuldades da vida.


A árvore dos problemas..



Esta é uma história de um homem que contratou um carpinteiro para ajudar a arrumar algumas coisas na sua fazenda.
O primeiro dia do carpinteiro foi bem difícil.
O pneu do seu carro furou, a serra elétrica quebrou, cortou o dedo, e ao final do dia o seu carro não funcionou.
O homem que contratou o carpinteiro ofereceu uma carona para casa.
Durante o caminho, o carpinteiro não falou nada.
Quando chegaram à sua casa, o carpinteiro convidou o homem para entrar e conhecer a sua família.
Quando os dois homens estavam caminhando para a porta da frente, o carpinteiro parou junto a uma pequena árvore e gentilmente tocou as pontas dos galhos com as duas mãos.
Depois de abrir a porta da sua casa, o carpinteiro transformou-se.
Os traços tensos do seu rosto transformaram-se em um grande sorriso, e ele abraçou os seus filhos e beijou a sua esposa.
Um pouco mais tarde, o carpinteiro acompanhou a sua visita até o carro.
Assim que eles passaram pela árvore, o homem perguntou:
- Por que você tocou na planta antes de entrar em casa?
O carpinteiro respondeu:
- Ah! Esta é a minha Árvore dos Problemas. Eu sei que não posso evitar ter problemas no meu trabalho, mas estes problemas não devem chegar até os meus filhos e minha esposa. Então, toda noite, eu deixo os meus problemas nesta árvore quando chego em casa, e os pego no dia seguinte; e você quer saber de uma coisa? Toda manhã, quando eu volto para buscar os meus problemas, eles não são nem metade do que eu me lembro de ter deixado na noite anterior.

Vida de Elefante...

Você já observou elefante no circo? Durante o espetáculo, o enorme animal faz demonstrações de força descomunais.
Mas, antes de entrar em cena, permanece preso, quieto, contido somente por uma corrente que aprisiona uma de suas patas a uma pequena estaca cravada no solo.

A estaca é só um pequeno pedaço de madeira.

E, ainda que a corrente fosse grossa, parece óbvio que ele, capaz de derrubar uma árvore com sua própria força, poderia, com facilidade, arrancá-la do solo e fugir.

Que mistério! Por que o elefante não foge?

Há alguns anos descobri que, por sorte minha, alguém havia sido bastante sábio para encontrar a resposta: o elefante do circo não escapa porque foi preso à estaca ainda muito pequeno. Fechei os olhos e imaginei o pequeno recém-nascido preso: naquele momento, o elefantinho puxou, forçou, tentando se soltar. E, apesar de todo o esforço, não pôde sair. A estaca era muito pesada para ele. E o elefantinho tentava, tentava e nada. Até que um dia, cansado, aceitou o seu destino: ficar amarrado na estaca, balançando o corpo de lá para cá, eternamente, esperando a hora de entrar no espetáculo.

Então, aquele elefante enorme não se solta porque acredita que não pode.
Para que ele consiga quebrar os grilhões é necessário que ocorra algo fora do comum, como um incêndio por exemplo. O medo do fogo faria com que o elefante em desespero quebrasse a corrente e fugisse.

Isso muitas vezes acontece conosco! Vivemos acreditando em um montão de coisas que não podemos ter, que não podemos ser, que não vamos conseguir..., simplesmente porque, quando éramos crianças e inexperientes, algo não deu certo ou ouvimos tantos não que a corrente da estaca ficou gravada na nossa memória com tanta força que perdemos a criatividade e aceitamos o "sempre foi assim..."

Poderia dizer que o fogo para nós seria: a perda de um emprego, ou algum outro problema ou algo que nos fizesse sair da zona de conforto.

A única maneira de tentar de novo é não ter medo de enfrentar as barreiras, colocar muita coragem no coração e não ter receio de arrebentar as correntes! Não espere que o seu "circo" pegue fogo para começar a se movimentar. Vá em frente!

Autor desconhecido

Fábula...



Na selva viviam três leões.Um dia, o macaco, o representante de todos os animais, convocou a todos para uma tomada de decisão."-Todos nós sabemos que o leão é o rei dos animais, mas há uma grande dúvida na selva. Existem 3 leões e os 3 são muitos fortes.Ao qual devemos render obediência? Qual deles deverá ser o nosso Rei?"Os leões souberam da reunião e  comentaram entre si: "-É verdade, a preocupação dos animais tem mito sentido. Uma selva não pode ter 3 reis.Lutar entre nós, é que não podemos, já que somos muito amigos.Precisamos saber qual será eleito, mas ...como descobrir?"Outra vez os animais se reuniram e depois de Muito discutir, chegaram a uma decisão, e a comunicaram aos 3 leões:"-Encontramos uma solução muito simples para o problema e decidimos que vocês 3 vão escalar a Montanha Difícil.O que chegar primeiro ao topo da montanha será consagrado nosso Rei."A montanha Difícil era a mais alta de toda a selva. O desafio foi aceito, e todos os animais se reuniram para assistir a grande escalada.O primeiro leão tentou escalar,  mas não conseguiu chegar.O segundo começou a escalar com toda a garra, mas também foi derrotado.
O terceiro tampouco o conseguiu, e desceu derrotado.  
Os animais ficaram impacientes e curiosos. Se os 3 foram  derrotados, como elegeriam um Rei?
 
Nesse momento, uma águia, grande em idade e sabedoria, pediu a palavra:
 
"-Eu sei quem deve ser o Rei!"
 
Todos os animais fizeram silêncio e a olharam com grande expectativa.
 
"-Como?", perguntaram todos.
 
"-É simples" ...disse a águia...."-Eu estava voando bem perto deles, e quando voltavam derrotados na sua escalada pela Montanha Difícil, escutei o que cada um disse a Montanha."
 
O primeiro disse: "- Montanha, me venceste!"
 
O segundo disse: " - Montanha , me venceste!"
 
O terceiro disse: "- Montanha, me venceste, por enquanto!!!! Mas  você, já chegou  no seu tamanho final e eu, todavia....ainda estou crescendo."
 
"- A diferença", completou a águia, "é que o terceiro leão, teve uma atitude de vencedor... quando sentiu a sua derrota naquele momento....mas não desistiu....E quem pensa assim ....sua pessoa é maior que seu problema. Ele é rei de si mesmo ! Está preparado para ser o rei dos demais!"
 
Os animais aplaudiram entusiasticamente o terceiro leão,  que foi coroado o Rei dos Animais.
 
 Moral:
 
Não tem muita importância o tamanho das dificuldades ou situações que você tenha.
 
Teus problemas, pelo menos na maior parte das vezes,  já chegaram ao nível máximo,  mas você  não!
 
Todavia, você está crescendo e você é maior que todos seus problemas juntos.
 
Todavia, você não chegou ao limite do teu potencial e da tua excelência.
 
A Montanha das Dificuldades tem um tamanho fixo, limitado.
 Todavia você está crescendo....