Colaboradores

terça-feira, setembro 16

...Biografia parte 2...

...Bom meu pai tinha um irmão que morava em São Paulo,não sei bem o motivo mas meu pai foi procurar emprego em São Paulo e assim que encontrou foi buscar eu e minha mãe..então fomos morar em uma chácara em guarulhos,meu pai tinha alguns passarinhos,um papagaio e uns periquitos,eu adorava o papagaio ele chamava meu nome e eu gostava muito de brincar com ele,mas minha mãe estava sem televisão e meu pai trocou o papagaio com os vizinhos por uma televisão,disse que era pra ela assistir as novelas...e la se vai meu papagaio... Eu não tinha completado 7 anos ainda então só ia poder entrar na escola no próximo ano,na época não tinha pré-escola na cidade...eu ficava com minha mãe pra cima e pra baixo onde ela ia eu ia atrás,na chácara enquanto meu pai cuidava da limpeza da chácara,minha mãe limpava os salões de festas e as casas dos patrões e eu claro ajudava ela... Ela fazia amizades com todo mundo,os vizinhos adorava a gente, iamos sempre la na piscina, era muito divertido... Mas infelizmente não ficamos muito tempo nessa chácara,meu tio chamou a gente para morarmos com ele em Itaquera(SP), que ia conseguir um emprego pro meu pai na empresa de ônibus...mas ficar na casa dos outros não é muito bom...e coitada da minha mãe não tinha boca pra nada...me lembro que eu já tinha 7 anos e tomava mamadeira só pra dormir,um certo dia uma prima minha estava lá e era menor do que eu e a mamadeira dela quebrou,minha tia logo falou que eu já estava bem grandinha pra tomar mamadeira e pegou a minha e deu pra ela,na hora de dormir eu pedi pra minha mãe e ela disse pra mim tomar meu leite no copo,disse que estava na casa dos outros e não podia fazer nada...

Biografia da minha vida...parte 1...

Nasci no ano de 1984 em Minas Gerais... Uma menina muito timida,filha unica e mimada pelos pais e avós, tinha uma infância perfeita. As poucas lembranças da minha infância são as melhores da minha vida.. Eu morava na fazenda dos meus avós maternos,eu devia ter uns 4 anos,me lembro que meus pais trabalhavam na roça e eu como era muito mimada não desgrudava da minha mãe por nada no mundo, então ela me levava com ela mas quando chegava la eu começava a reclamar por causa dos pernilongos e chorava querendo ir embora dai minha mãe tinha que voltar comigo e meu pai ficava,até que um dia minha avó disse pra ela sair escondido e me deixar la com ela,e minha mãe tentou...e quando eu percebi que ela não estava nossa foi como se tivesse tirado um pedaço de mim eu chorei o dia inteiro e fiquei sem comer até ela chegar..me lembro perfeitamente dessa cena, quando ela chegou fui logo perguntando porque ela tinha me deixado la e ela disse que era porque ela tinha que trabalhar e eu só ficava chorando por isso ela não me levou...nunca mais minha mãe me deixou com ninguém...Ainda em Minas Gerais me lembro que eu adorava tirar fotos no jardim da cidade,e quando iamos em algum lugar e tinha que andar muito minha madrinha me pegava no colo e minha mãe dizia assim":Deixa essa menina andar,por isso que ela ta assim vocês fazem o gosto dela".

terça-feira, setembro 2

Sonhos de Criança

Fiquei sabendo que você cresceu E já não acredita mais em Papai Noel. Como pode esquecer daquele tempo de criança, Onde a fantasia reinava ? O tempo em que você antes de se deitar, Colocava seu sapatinho na janela E acordava cedinho, na esperança de encontrar O presente que Papai Noel lhe deixaria ? Hoje seus sonhos são outros... Cadê a "sua " criança ? Perdeste-a ao longo da vida ? Não estará ela escondidinha no seu coração ? Procure-a ! Ela ainda vive dentro de você ! Não deixe que seus sonhos morram ! A fantasia nos faz viver, sonhar, desejar... Coloque seu sapatinho na janela ! Faça seu pedido ! Talvez ele demore um pouco a se realizar Mas a vida já te ensinou que tudo tem seu tempo E você já aprendeu a esperar, a ter paciência... Já aprendeu que se seu pedido não se realizar Pode já ser um grande presente, Pois, nem tudo que queremos é para o nosso bem Então, pegue seu sapatinho da esperança Coloque-o na janela do desejo E aguarde para que seus sonhos Se tornem realidade. Depois sorria, compreenda, de pulos E agradeça seu presente de Natal! E seja muito, muito FELIZ!!!!!!!!!!!

Uma Flor Rara

Havia uma jovem muito rica, que tinha tudo: um marido maravilhoso, filhos perfeitos, um emprego que lhe pagava muitíssimo bem, uma família unida. O estranho é que ela não conseguia conciliar tudo isso, o trabalho e os afazeres lhe ocupavam todo o tempo e a sua vida estava deficitária em algumas áreas. Se o trabalho lhe consumia muito tempo, ela tirava dos filhos, se surgiam problemas, ela deixava de lado o marido... E assim, as pessoas que ela amava eram sempre deixadas para depois. Até que um dia, seu pai, um homem muito sábio, lhe deu um presente: uma flor muito cara e raríssima, da qual havia apenas um exemplar em todo o mundo. E disse a ela: - Filha, esta flor vai te ajudar muito mais do que você imagina! Você terá apenas que regá-la e podá-la de vez em quando, ás vezes conversar um pouquinho com ela, e ela te dará em troca esse perfume maravilhoso e essas lindas flores. A jovem ficou muito emocionada, afinal a flor era de uma beleza sem igual. Mas o tempo foi passando, os problemas surgiam, o trabalho consumia todo o seu tempo, e a sua vida, que continuava confusa, não lhe permitia cuidar da flor. Ela chegava em casa, olhava a flor e ela ainda estava lá, não mostrava sinal de fraqueza ou morte, apenas estava lá, linda, perfumada. Então ela passava direto. Até que um dia, sem mais nem menos, a flor morreu. Ela chegou em casa e levou um susto! Estava completamente morta, suas raízes estavam ressecadas, suas pétalas caídas e suas folhas amarelas. A jovem chorou muito, e contou a seu pai o que havia acontecido. Seu pai então respondeu: - Eu já imaginava que isso aconteceria, e eu não posso te dar outra flor, porque não existe outra igual a essa, ela era única, assim como seus filhos, seu marido e sua família. Todos são bênçãos que Deus te deu, mas você tem que aprender a regá-los, podá-los e dar atenção a eles, pois assim como a flor, os sentimentos também morrem. Você se acostumou a ver a flor sempre lá, sempre florida, sempre perfumada, e se esqueceu de cuidar dela.

A folha de Papel

Quando mais jovem,por causa de meu caráter impulsivo,tinha raiva e na menor provocação,explodia magoando meus amigos. Na maioria das vezes,depois de um desses incidentes me sentia envergonhado e me esforçava por consolar a quem tinha magoado.Um dia meu professor me viu pedindo desculpas depois de uma explosão de raiva, e me entregou uma folha de papel lisa dizendo: -Amasse-a! Com medo,obedeci e fiz com ela uma bolinha. -Agora voltou a dizer-me deixe-a como estava antes. É obvio que não pude deixá-la como antes.Por mais que tentei,o papel ficou cheio de pregas . Então,disse-me o professor:-O coração das pessoas é como esse papel.... A impressão que neles deixamos será tão difícil de apagar como esses amassados. Assim aprendi a ser mais compreensivo e mais paciente.Quando sinto vontade de estourar,lembro-me deste papel amassado.A impressão que deixamos nas pessoas é impossível de apagar. Quando magoamos com nossas ações ou com nossas palavras,logo queremos consertar o erro,mas muitas vezes é tarde demais.Alguém disse,certa vez: "Fale quando tuas palavras sejam tão suaves como o silêncio."

sábado, agosto 30

Um lindo dia abençoado e iluminado repleto amor e paz

O que fizemos durante o dia? Quais objetivos almejávamos e quais foram alcançados? O que conseguimos melhorar em nós? Muitas vezes olhamos para traz e verificamos que ainda que tenhamos sido bem sucedidos na parte material, dentro de nós permanece um imenso vazio, pois notamos que passamos a maior parte do tempo preocupados em ter e esquecemos do ser. Quais foram os sentimentos que nutrimos hoje? Quantas alegrias e quantas tristezas causamos nos outros e em nós próprios? O que fizemos por nós mesmos, e pelos outros? Qual foi a nossa atitude diante das contrariedades e das adversidades? Quantas vezes estendemos a mão àqueles que buscaram ajuda em nós? Quantas vezes perdoamos àqueles que nos ofenderam? Esse é um balanço que deveríamos fazer todos os dias, aos nos recolhermos, pois com essa análise podemos descobrir nossas falhas e onde devemos nos melhorar. Se depois desse balanço percebermos que o saldo de boas ações foi negativo, não nos entristeçamos, mas sim, pensemos positivamente, revendo objetivos, metas e atitudes, para iniciarmos um novo período, um novo dia com esperança renovada, ânimo e coragem no porvir. O que passou já foi. Se erramos, aprendamos com nossos erros, pois tudo é ensinamento. Culpar-se não resolve. As oportunidades concedidas são infinitas... A hora é agora! Coragem! Luz! — com Casa Espírita Chico Xavier, Associação Espírita Chico Xavier, Harmonia Espiritual

sexta-feira, agosto 29

O cavalo e o fazendeiro

Um dia, o cavalo de um camponês caiu num poço. Não chegou a se ferir, mas não podia sair dali por conta própria. Por isso o animal chorou fortemente durante horas, enquanto o camponês pensava no que fazer. Finalmente, o camponês tomou uma decisão cruel: concluiu que já que o cavalo estava muito velho e que o poço estava mesmo seco, precisaria ser tapado de alguma forma. Portanto, não valia a pena se esforçar para tirar o cavalo de dentro do poço. Ao contrário, chamou seus vizinhos para ajudá-lo a enterrar vivo o animal. Cada um deles pegou uma pá e começou a jogar terra dentro do poço. O cavalo não tardou a se dar conta do que estavam fazendo com ele e chorou desesperadamente. Porém, para surpresa de todos, o cavalo aquietou-se depois de umas quantas pás de terra que levou. O camponês finalmente olhou para o fundo do poço e se surpreendeu com o que viu. A cada pá de terra que caía sobre suas costas o cavalo a sacudia, dando um passo sobre esta mesma terra que caía ao chão. Assim, em pouco tempo, todos viram como o cavalo conseguiu chegar até a boca do poço, passar por cima da borda e sair dali trotando. A vida vai te jogar muita terra nas costas. Principalmente se você já estiver dentro de um poço. O segredo para sair do poço é sacudir a terra que se leva nas costas e dar um passo sobre ela. Cada um de nossos problemas é um degrau que nos conduz para cima. Podemos sair dos mais profundos buracos se não nos dermos por vencidos. Use a terra que te jogam para seguir adiante! Recorde-se das cinco regras para ser feliz: 1- Liberte o seu coração do ódio. 2- Liberte a sua mente das preocupações. 3- Simplifique a sua vida. 4- Dê mais e espere menos. 5- Ame-se mais e aceite a terra que lhe jogam. Ela pode ser a solução, não o problema. “É graça divina começar bem. Graça maior persistir na caminhada certa. Mas graça das graças é não desistir nunca”. - Dom Hélder Câmara

A flor e a borboleta

Certa vez, um homem pediu a Deus uma flor e uma borboleta, mas Deus lhe deu um cacto e uma lagarta. O homem ficou triste, pois não entendeu o porquê do seu pedido vir errado. Daí pensou: “Também, com tanta gente para atender...” E resolveu não questionar. Passado algum tempo, o homem foi verificar o pedido que deixara esquecido. Para sua surpresa, do espinhoso e feio cacto havia nascido a mais bela das flores. E a horrível lagarta transformara-se em uma belíssima borboleta. Deus sempre age certo. O seu caminho é o melhor, mesmo que aos nossos olhos pareça estar dando tudo errado. Se você pediu uma coisa para Deus e recebeu outra, confie. Tenha a certeza de que Ele dá o que você precisa no momento certo. Nem sempre o que você deseja é o que você precisa. Como Ele nunca erra na entrega dos pedidos, siga em frente sem murmurar ou duvidar. O espinho de hoje será a flor de amanhã!

Quatro velas e uma criança..

Quatro velas estavam queimando ruidosamente, calmamente. O ambiente estava tão silencioso que podia-se ouvir o diálogo que travavam: A primeira vela disse: - Eu sou a PAZ! Apesar de minha luz as pessoas não conseguem manter-me, acho que vou apagar. E diminuindo devagarzinho, apagou totalmente. A segunda vela disse: - Eu me chamo FÉ! Infelizmente sou muito supérflua. Há pessoas que não querem saber de mim. Não faz sentido continuar queimando. Ao terminar sua fala, um vento levemente bateu sobre ela, e esta se apagou. Baixinho e triste a terceira vela se manifestou: - Eu sou o AMOR! Não tenho mais forças para queimar. As pessoas me deixam de lado, só conseguem se enxergar, esquecem-se até daqueles à sua volta que lhes amam. E sem esperar apagou-se. De repente...entrou uma criança e viu as três velas apagadas. - Que é isto? Vocês deviam queimar e ficar acesas até o fim. Dizendo isso começou a chorar. Então a quarta vela falou: - Não tenha medo criança, enquanto eu queimar podemos acender as outras velas, eu sou a ESPERANÇA. A criança com os olhos brilhantes pegou a vela que restava e acendeu todas as outras... "Que a vela da esperança nunca se apague dentro de nós."

É Preciso ter força...

É preciso ter força para ser firme, mas é preciso coragem para ser gentil. É preciso ter força para se defender, mas é preciso coragem para baixar a guarda. É preciso ter força para ganhar uma guerra, mas é preciso coragem para se render. É preciso ter força para estar certo, mas é preciso coragem para ter dúvida. É preciso ter força para manter-se em forma, mas é preciso coragem para ficar de pé. É preciso ter força para sentir a dor de um amigo, mas é preciso coragem para sentir as próprias dores. É preciso ter força para esconder os próprios males, mas é preciso coragem para demonstrá-los. É preciso ter força para suportar o abuso, mas é preciso coragem para faze-lo parar. É preciso ter força para ficar sozinho, mas é preciso coragem para pedir apoio. É preciso ter força para amar, mas é preciso coragem para ser amado. É preciso ter força para sobreviver, mas é preciso coragem para viver. Se você sente que lhe faltam a força e a coragem, queira Deus que o mundo possa abraçá-lo hoje com seu calor e amor ! E que o vento possa levar-lhe uma voz que lhe diz que há um amigo, vivendo num outro lado do mundo, desejando que você esteja bem e que, acima de tudo, seja muito feliz!!! Silvia Schmidt